Mundo Gamer

Metin 2: relembre a história deste MMORPG dos anos 2000

Cartaz do Metin 2 com personagem ninja

Você já teve a experiência de jogar o Metin 2, um MMORPG? Ora, há quem diga que recordar é viver! Por isso, hoje resolvemos trazer a história deste game que até hoje conta com adeptos. Acredite, embora tenha sido laçando em 2007, ainda temos servidores no Brasil que fornecem a experiência com o jogo.

Para quem não sabe, o Metin 2 foi desenvolvido originalmente na Coreia no ano de 2004 pela Ymir Entertainment. Entretanto, foi somente em 2007 que ele chegou ao território brasileiro. A propósito, na época, ele impressionava por conta dos gráficos 3D em comparação aos games do período.

Veja também: Entenda a diferença entre um teclado gamer mecânico e um teclado comum

Tradicionalmente, esse jogo se trata de um Massively Multiplayer Online Role-Playing Game (MMORPG). Em tradução livre, podemos dizer que é um jogo de interpretação de personagens online e em massa para multijogadores.

Naturalmente, os fãs de RPG sabem bem como é a vibe desse tipo de jogo. Você tem a liberdade de criar o seu personagem e interagir livremente dentro daquele universo.

Embora haja uma variedade de MMORPGs mais atuais, o Metin 2 jogo surpreende justamente pela profundidade da história. Tudo é muito bem contextualizado. E, acredite: vai até te deixar com vontade de conhecer essa preciosidade histórica.

Atualmente, o Brasil tem dois servidores do jogo que se destacam. Trata-se da Ongame e Rox Games. Entretanto, nos últimos anos, tornou-se comum surgirem servidores do jogo que não duram muito tempo no ar.

Metin 2 – A história que conduz a lógica do jogo

Embora tenha sido desenvolvido por uma equipe coreana, o cenário do jogo é a China Imperial. Mas, cabe algumas licenças poéticas para criar o fio condutor do game: as pedras metin.

Na China Antiga, um império vivia bem e com muita prosperidade, até que algo misterioso aconteceu: o surgimento de pedras com formatos de meteoritos, batizadas de metins. Neste sentido, onde caiam, espalhavam o caos.

As pedras metins não causaram somente destruição espacial. Na verdade, passaram a infectar às pessoas e aos animais. Junto a elas, passaram a aparecer monstros de todos os tipos.

Dessa maneira, com conflitos políticos movidos por ambição e tentativas de sobrevivência, o Império Antigo acabou se dividindo em 3 reinos provinciais diferentes. A seguir, podemos ver cada um deles:

  • Shinsu: o reino vermelho, financiado pela união dos comerciantes mais poderosos
  • Jinno: o reino azul, encabeçado pela força militar original do Império Antigo
  • Chunjo: o reino amarelo, formado pelo primo do antigo imperador e os seus seguidores

Consequentemente, a divisão, o conflito e a contaminação constante das pedras gerou fortes perdas. O cenário do revela, inclusive, uma crise e uma árdua dificuldade na economia de cada reino novo surgido em meio a esses acontecimentos.

Como se não fosse o bastante, no interior de cada província, grupos de criminosos se uniram para se aproveitarem da crise. Boa parte dos territórios se tornaram ermos e perigosos com a presença de vândalos, gangsteres e o pior: criaturas com deformações provocadas pela contaminação dos metins.

Paralelo aos desafios das missões do jogo, o jogo tem o enfrentamento entre os jogadores. Acontece que as províncias de Shinsu, Chunjo e Jinno nunca pararam de guerrear. Cada qual segue determinada a extirpar os rivais e garantir a sobrevivência do seu povo.

Classes de personagens do Metin 2

Quando você instala o pack do jogo e faz o cadastro em uma das empresas que o fornece, há algumas decisões a tomar. Primeiramente, você precisa escolher qual dos três reinos você vai fazer parte no Metin 2.

O interessante de qualquer MMORPG é justamente o fato de que o jogo muda totalmente de um servidor para o outro. E como se trata de um jogo on-line, é interessante perceber que as atualizações entre cada empresa muda.

Mas, no geral, as classes de personagens são mantidas entre todas as versões. Com exceção de uma classe a mais que tem em alguns servidores pelo mundo.

Além disso, vale ressaltar que o jogo possui o conceito de ganhar experiência (xp) para subir de nível. Para isso, você precisa enfrentar criaturas em locais condizentes com o seu nível. Por exemplo, você enfrenta aos animais ferozes da floresta, criminosos e gangsteres e depois monstros e criaturas deformadas pelas pedras metin.

No jogo, você encontra as classes dos guerreiros, ninjas, shuras e shamans. Em algumas edições, há a presença dos lycans. Além disso, há duas subdivisões entre cada classe.

Personagens guerreiro, shaman, shura e ninja do Metin 2.
Aqui, eis as classes principais encontradas nos jogos. (Foto: Ongame – Divulgação)

Classe dos Guerreiros

Uma das populares entre todos os servidores do jogo, trata-se dos personagens que usam da força bruta. Preferem armaduras pesadas e espadas, além de serem altamente letais na experiência de guerra.

Entre os guerreiros, há a categoria do arahans: aqueles que atacam diretamente, têm movimentos mais rápidos e usam espadas de uma mão. Entretanto, são muito mais suscetíveis aos ataques dos rivais.

Há, ainda, a escola dos partizans: aqueles que usam espadas de duas mãos, são muito mais lentos, mas conseguem se defender melhor dos ataques dos rivais.

Classe dos Ninjas

Outra classe presente no jogo é a dos ninjas. Via de regra, eles são exímios assassinos profissionais. São tão rápidos, que dificultam o alcance dos seus inimigos.

Entre os ninjas, há os adagueiros: eles são especialistas no combate corpo a corpo. Entretanto, tornam-se muito vulneráveis a qualquer tipo de contra-ataque.

Há, ainda, os arqueiros: por atacarem à distância com suas flechas, dificilmente são capturados. Mas, quando atingidos de perto, ficam acuados e com muita dificuldade em um embate direto.

Classe dos Shuras

Diferentemente dos guerreiros e ninjas, os shuras vão por outra via: a magia. Eles se especializaram no uso da magia negra e a canalização das artes das trevas em suas espadas. Tal contato, fez com tivessem um de seus braços deformado, semelhante a de monstros.

Entre os shuras, há a escola dos miragens: canalizam a magia negra para aumentar a força do ataque de sua espada, além de obter mais defesa.

A outra escola é a dos blacks: eles canalizam a magia negra para para usarem de energias de ataques com poderes, que envolvem as forças das trevas, incluindo evocações.

Classe dos Shamans

Nem só de magia negra se faz os feiticeiros do Metin2. Sendo assim, devemos mencionar que os shamans são sábios que vivem em comunhão com a natureza. A partir dela, eles usam os seus poderes de feitiçaria, podendo tanto ajudar aos demais, quanto atacá-los.

Entre os shamans, há a escola dos dragões: são cultuadores do deus dragão, que conseguem canalizar o fogo divino em ataques mortais. Além disso, eles conseguem dar poderes às demais classes. Podem aumentar as suas capacidades de defesa e aumentar a probabilidade de ataque crítico. No jogo, o ataque crítico é quando você consegue tirar aproximadamente o dobro do previsto em danos ao seu oponente.

Há, também, a escola dos relâmpagos. Eles canalizam as energias da natureza com ataques de relâmpagos, além de poderem curar a si e aos demais.

Classe dos Lycans

Uma classe especial presente em alguns servidores, ela tem uma divisão única. Trata-se de humanos que sofreram uma mutação com as pedras metins.

Por conta disso, eles unem o corpo de humano com cabeça de lobo. A força física que conseguem exercer é enorme, tornando-os muito ferozes.

Guerras e conflitos possíveis dentro do Metin 2

Dentro do universo de Metin 2, há três guerras frequentes que acontecem o tempo todo.

Guerra da Encruzilhada: São as guerras em que os 3 reinos se enfrentam diretamente. O reino vencedor, obtém vantagens ao longo da semana.

Guerra da Tocha: Os três reinos enfrentam inimigos contaminados pelas pedras metins e precisam destruir tochas e monstros. Dessa maneira, os personagens que conseguem ganham prêmios. A propósito, o melhor reino obtém vantagens.

Guerra de Guilda: Neste caso, são guerras que também podem ocorrer internamente nos reinos. Na prática, as guildas são pessoas que se unem em grupos, formando legados. As guildas podem se enfrentam. Sendo assim, a guilda com mais vitórias obtém mais vantagens.

Duelo: Os duelos são combates que envolvem apenas dois personagens. Portanto, servem mais para mostrar poder ou demonstrar força.

Pedra Metin: Há pedras metins de diferentes níveis. Logo, quem for compatível com o nível da pedra e destruí-la, ganha prêmios em forma de itens.

Ganho de experiência: No geral, para aumentar o seu nível no jogo, é preciso upar o seu personagem. Para isso, tem que enfrentar os animais, gangsteres e monstros próprios dos cenários do jogo.

Missões a serem cumpridas no Metin: Conforme se avança de nível, você pode fazer missões diferenciadas. Cada missão cumprida fornece recompensas e permite vivenciar mais da história original do game.

Requisitos de Hardware para jogar

Atualmente, para os padrões que estão em voga em outros games, o jogo é super leve. Portanto, mesmo quem um hardware mais simples vai poder aproveitar. Sendo assim, aqui vão os requisitos:

Sistema Operacional
Windows XP, 7, 8, 9 ou superior
Processador
P4 3Ghz ou Athlon 3000+
Memória RAM
1 Gb
Placa de Vídeo
GeForce 6600/Radeon X600
DirectX
DirectX 9.0c ou mais recente
Armazenamento
1,51 Gb de espaço livre
InternetBanda Larga
Fonte dos dados: Rox Games

E, então, gostou de revisitar a história do Metin 2? Comente aqui se você já jogou e qual game antigo gostaria que a 123 Comprou! revisitasse!!!

Related posts
Mundo Gamer

Por onde começar a montar o seu setup gamer?

Mundo GamerShopping

10 Fones de ouvido gamer em promoção

Mundo Gamer

Por que ter um monitor curvo?

Mundo GamerTecnologia

Saiba já como deixar o seu PC mais rápido

Increva-se para receber novidades & promoções

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *